FÉRIAS LONGAS DAS CRIANÇAS!!

Chegou a tão NÃO esperada férias escolares longas!! Nessas horas(mas só nessas mesmo) dá uma vontade de ser mora de escola e trabalhar só quando eles estudam. Porque férias óbvio que gosto quem não gosta, mas ter que inventar mil atividades pra eles, aguentar testes deles e brigas e ainda encaixar o trabalho não é uma missão fácil. E confesso realmente me dá prazer trabalhar, além de não gostar de deixar acumular afazeres pra depois preciso de um horário pra mim que me realizo. Nem estou dizendo ginástica, que aliás é outra coisa que também abdico nas férias deles, foto 4

foto 3

foto 2

foto 1mas ok sobrevivemos fáaacil sem, só a consciência quando comemos muita besteira que pesa mais.
Hoje acordamos tarde por conta da ressaca do casório do Abe de ontem que chegamos e dormimos bem tarde. E foi dia de bike no Ibirapuera. Só levei a deles, porque a minha com as cadeirinhas deles não coube no carro e alugar lá e a Sarah andando com a dela não ia conseguir convencer eles a andarem tanto. Enfim, ficamos só no parquinho e depois nessa escalada que a Sarah ama subir no topo e adora mais ainda quando tiro foto dela no alto, fica orgulhosa de si.
Ela resolveu que precisava ir ao banheiro e a vaidade não me permitiu convencê-la a fazer atrás dos grandes troncos de arvores nem escondida na mesa de picnic. Toda essa discussão enquanto o Benny já tinha abaixado a bermuda e feito na grama. Nessas horas (e em outras também) como é tranquilo ser homem.
Tive que fazer andarem a beça até chegarem finalmente ao banheiro. Detalhe, nessas a volta seria bem mais longa.
E para forrar a privada, pegar o papel higiênico que fica fora com os 2 meninos fugindo. Bom eu pra lá e pra cá, chamando eles com muita paciência consegui deixar ela fazer xixi sozinha de olho neles. Mas e eu?! Mãe também precisa fazer necessidades né? Acho que fiquei uns 10 minutos com o papel higiênico na mão, quase desisti e eles descobriram o bebedouro ai pronto só fazendo xixi de porta aberta ou enfiando todos naquela minúscula cabine para conseguir e foi o que fiz.
Depois mais 10 minutos chamando eles para irmos embora pois sabia que iam reclamar do trajeto distante até o carro. Algum moleque ensinou eles a fazerem um esguicho de água e não me ouviam por nada.
Como diz o Rony, o Benny tem surdez seletiva. Quando quer escuta rapidinho, quando não pareço uma louca falando sozinha.
E as brigas, o dia inteiro aparto brigas, beliscões e puxadas de cabelo e está só começando…
E ainda assim consegui trabalhar um pouco. Ufa, quanta paciência. Acho que também pra isso fomos criados, para respirarmos fundo, mantermos a calma, perder não resolve só piora e perdemos saúde. Haja paciência!!!!

Advertisements

R.Sanny – Milagre de Chanuká – 04/12/13

Todos temos uma parte da alma que se “tocamos” florescem a Torá, dá uma vontade de fazer coisas boas, é um “sopro involuntário”. Precisamos de influências positivas.

Tem uma história do cantor Chaim Benet…

Chag não é lembrar a cada ano o que aconteceu. Rav Desler diz que cada Chag recebemos uma essência, energia do que aconteceu. Ou seja, em Pessach a liberdade; em Shavuót, a Torá “desce” pro nosso mundo.

Um menino foi uma vez no parque de diversões no túnel do terror com o pai. É uma escuridão, conforme o carrinho vai andando vão aparecendo monstros que se levantam com máscaras assustadoras que dão medo. O menino deixou cair o boné e o pai sugeriu de voltarem, o menino se recusou, não queria voltar a se assustar. O técnico do brinquedo parou, acendeu a luz do túnel e entraram para procurar. Quando viu todos os monstros no claro não estava acreditando: “era disso que fiquei com medo, não é tudo isso…”

Yossef depois de ser escravo que foi vendido pelos irmãos, foi preso durante 12 anos. Faró sonhou com as vacas magras que comiam as vacas gordas. Falaram que um rapaz que estava na prisão sabia interpretar sonhos. Faró foi até ele e contou o sonho e disse me falaram que você tem habilidade de interpretar sonhos e ele humildemente responde: “Não sou eu, é Hashem que me dá essa força. Ele interpretou que teriam anos de fartura e depois de escassez e que haveria um líder, ministro.

Faró decidiu que então ele (Yossef) seria o líder e ele humildemente de novo não quis aceitar. Faró pensou que fosse pq não dariam kavod para um recém presidiário e então deu um anel e depois mandou uma carruagem passar exaltando-o e nada não queria aceitar o cargo. Então resolveu mudar de nome para não o reconhecerem, mudou para Tzfaná Panea. Isso mostra que apesar dele ter sido escravo depois ter isso pra prisão e ter tido um “upgrade” para ministro não “subiu” a fama na cabeça. Ele mudou de nome e se saiu dessa, mas a essência continuou.

História do taxista em Israel com passageiro estrangeiro com numeração da guerra…

EDUCAÇÃO DIFÍCIL NO BRASIL – 04/12/13

Faz um tempo que tenho refletido sobre esse assunto de como será a educação das crianças no Brasil quando crescerem. Por enquanto eles ainda ficam embaixo do meu nariz, fazendo o que quero e pros lugares onde vou. Digamos que a política daqui não dá menor gosto de ler as notícias, corrupção, CPI´s, obra pública superfaturada, mensalões, vergonha geral. Economia sempre lemos que vai bem, mercado aquecido,mas as coisas custam furtunas, educação e saúde privas uma loucura. Sair nas ruas anda difícil até durante o dia, assaltos até com crianças.

Óbvio que tenho muita Emuná e isso em primeiro lugar, rezo pedindo proteção pra todos nós e me sinto mesmo muito protegida a cada instante,mas temos que fazer nossa parte, isto é, prevenir quanto der. E não sou de reclamar, de verdade que amo minha vida, amo o Rony, temos 3 jóias preciosas B”H super saudáveis que nos trazem só alegrias, muita saúde, família por perto, aaaamo minha rotina de trabalho, cuidar da casa, dos filhos, ter AJUDA da Graça e da Margarida apesar de fazer muito com eles. Enfim, só penso que nossos filhos crescendo não sei se terão as mesmas oportunidades que eu tive de voltar a pé sozinha da escola, andar de ônibus com as amigas, bicicleta pelas ruas, não me enxergo deixando eles nessa liberdade toda, confesso que sou bastante protetora como diz o Rony.

Bom, na semana passada aconteceu um episódio comigo que entendi como um pequeno sinal de Hashem. Justo na semana que estava com isso em mente. Fui deixar uma amiga na casa dela de carona de volta de uma festinha e estava no carro também com a Sarah e o Benny.

Pegamos um baita trânsito. A rua dela é mão dupla de carros e quando chegamos lá, o farol estava FECHADO com uns 4 carros parados na minha frente. Perguntei se ela podia descer ali mesmo. Abri rapidamente a porta de trás pra ajudar a tirar o filho dela. Nesse momento, saiu uma voz gritando do carro atrás: “ Ah não, não tô acreditando no que estou vendo, mas é muita folga mesmo”. Até ai ok. Do segundo que deixei o menino até a mãe, (nessas nem deixei ele na calçada pra acelerar) até entrar no carro acho que foram questão de 10 segundos. Nunca ouvi tantos palavrões em tão pouco tempo. “Sua va…, vaga…, filha da…, madame, vai trabalhar, sua pira…” Com certeza, não deve ter tido um dia fácil, talvez já devesse estar mto tempo no trânsito, fazendo um julgamento favorável,mas na hora me voltou aquele pensamento da semana. Aqui não é nosso meio, sabemos que essa Vicência não será boa influência pros nossos filhos, educar com palavrão super condenável e não almejado, valores invesrtidos, pessoas materialistas em excesso… Nessas a Sarah me pergunta sem malícia: “Mamy, o que essa moça queria com vc?” e eu rindo por dentro respondo que ela devia estar um pouco chateada que a mamy parou o carro no meio da rua. No farol seguinte, olho pelo retrovisor, ela ainda me mostra o dedo do meio e tira foto do celular da placa do carro, onde ela queria chegar? No face talvez (rsrs). E no minuto seguinte, a Sarah continua: “Mamy, com quantos anos vou poder andar sozinha na rua, com 12?” Ui vei, justamente o que eu estava pensando, muita “ coincidência” Hashem.

Se não bastasse nessa semana, saí com minhas amigas e sem me estender demais, chegamos num papo de homossexualismo que me chocou também. Elas sempre acabam sutilmente me criticando,mas não me importo posso viver nessa bolha,mas tenho certeza que é o caminho da verdade e do sucesso material e espiritual. Casamento entre 2 homens não dá pra achar normal, não? As coisas estão banalizadas demais, que horror me choco!!

DIA 17/10/13 – CURSO DE FOTOGRAFIA NO BEIT CHABAD (Duração de 2 dias)

 Minha vontade de fazer um curso de longa duração como o da Panamericana de 2 anos foi por agua a baixo depois da dificuldade de com quem deixar as crianças somente por 1 dia e meio. O curso foi em uma tarde de quinta-feira e domingo o dia todo, justamente no que teve Domingo Cultural no Iavne, a Sarah ficou chateada, pediu para eu “ despagar” o curso, mas mesmo assim, fui e amei, valeram as dicas. A única coisa que não valeu foi que a vontade de aprender mais aumentou junto com a falta de tempo L L

Bom, vou tentar lembrar de tudo apesar de que muita coisa está na apostila que eles deram.

1)      Elementos de design

a)      Cor – existe uma sintonia com cores opostas, primárias com secundárias, por exemplo, vermelho com verde(grama c/roupa vermelha,rosa), azul com laranja, amarelo com roxo conforme Círculo cromático abaixo:

                       

b)      Linhas – o elemento mais forte de todos. As linhas podem ser verticais, horizontais, diagonais ou curvilíneas.

Para desfocar e pegar algo em movimento(lembrar da foto do trem com a luz interna o trem após já ter passado), coloca em velocidade bem baixa(número maior), com tripé pra não tremer e em ambiente escuro. Se for de dia, a mesma coisa, mas com mais tempo, velocidade um pouco maior como em cachoeira.

 

 

 

c)       Formas – é um elemento bi-dimensional de basae para composição da imagem, e é geralmente o primeiro meio pelo qual um espectador identifica um objeto dentro da imagem. Precisamos sempre pensar no ângulo que a máquina vai “ enxergar”.

Luz e sombra geram forma.

 

Triângulo é a forma mais poderosa. Quando queremos fotografar família, tenta formar um triangulo (a altura do olho na altura da boca do outro também traz harmonia)ou tirar de uma paisagem atrás de uma forma de triangulo.

d)      Texturas – podem trazer uma dimensão tátil para a fotografia e podem contribuir para as formas.Lembrar da foto  do ângulo de baixo do tronco da árvore.

 

e)      Padrão – trazem sensação de ritmo visual e harmonia para as fotografias. Exemplo, várias mesas iguais, cadeiras, violão, é a repetição.

 

f)       Composição – dar um equilíbrio natural aos componentes, chamando a atenção para as partes importantes da cena ou guiando os olhos do espectador pela imagem.

10 REGRAS BÁSICAS DA COMPOSIÇÃO

 

g)      LUZ (qualidade, direção e cores)

h)      Pontos de vista

i)        Principais erros

j)        5 “máster dicas”

O que substitiu os antigos filmes são os sensores. Quanto maior for o sensor, melhor a qualidade da máquina. Mas isso é difícil de informamrem no momento da compra. Quantos megapixels possui a máquina não importa muito, porque até o Iphone de 3Megapixel tem qualidade boa.

Quanto mais megapixel, menor o tamanho de cada pixel e melhor a qualidade da imagem. Para ampliar ou recortar a foto precisa ter mais megapixel. Caso seja uma foto normal de 10 x 15cm é indiferente a quantidade de megapixels.

As câmeras Point&shoots são as “ domésticas”, compactas e não possuem espelho e nem lentes para trocar. As “ profissionais” são as DSRL que possuem ambos e os sensores são maiores e com aberturas maiores(maior profundidade). E existe uma nova modalidade que são as Mirrorless que trocam as lentes,mas não possuem espelho. Quando tem espelho, não olha na tela de LCD, por isso que nas compactas que não tem espelho, não olha no visor.

TRIÂNGULO DA FOTOGRAFIA

1)      Abertura (f/stop) – determina o tamanho de abertura da lente. Quanto maior a abertura, mais luz entra na câmera, melhor a imagem. F2,8 é a abertura maior e F22 é a menor, portanto, a pior. Nas lentes mais profissionais, aquelas bem longas (estilo de fotógrafo que aparece em jogo de futebol), a abertura pode ser fica no F2,8 sem mexer na velocidade por isso são mais eficazes.

2)      Velocidade – vai de 1 a 1/1000 e quanto maior o número menos luz entra.

Nas câmeras DSRL, temos a opção de escolher a prioridade de abertura (A) ou velocidade (S),mas se optamos por um, a câmera modifica o outro. Depois que tiramos a foto, nas informações da foto podemos descobrir o valor da outra variável que a câmera escolheu. Esse fotógrafo (Marco Costa) disse que na grande maioria das vezes ele coloca a abertura em prioridade, e a câmera escolhe a velocidade.

3)      Iso = Exposição – quanto maior o numero, mais sensível a luz, fica mais claro. Logo, em ambientes fechados o ideal é aumentar o ISO e durante o dia com luz natural pode deixar no mínimo. O fotômetro mede a quantidade de luz, todas tem. Sinal positivo(+) – super exposta. Sinal negativo(-) – falta luz. Em algumas ocasiões, o fotômetro é enganado, por exemplo, quando você foca alguém contra a luz no automático a câmera reconhece muita luz e fecha a abertura, a pessoa fica escura.

Quanto menor for o ISSO, melhor a qualidade da foto, sempre.

Balanço de branco – processo que visa remover “contaminações” de cores mantendo a cor real. Isso funciona bem no automáticom,mas pode regular se a luz for solar, de lâmpada incandescente, fluorescente, nublado, chuvoso.

Melhor horário de fotografar – paisagem, é sempre melhor com  sol,mas não 12:00hs. Tentar um pouco mais cedo ou um pouco mais tarde. Pessoas, melhor com tempo nublado.

COMPOSIÇÃO – o objetivo da composição na fotografia é dar um equilíbrio natural aos componentes, chamando a atenção para as partes importantes da cena ou guiando o olho do espectador pela imagem.

10 regras básicas para composição:

1)      Regra dos terços – deslocar o elemento principal do centro da foto para a direita ou esquerda

 

2)      Equilibrando os elementos

3)      Linhas guias – não necessariamente linha reta, pode ser tortuosa

 

4)      Simetria e padrões

 

5)      Ponto de vista – mudar o ângulo de visão

 

6)      O fundo

 

7)      Profundidade – para ter mais profundidade, precisa ter menor velocidade(maior o número)

 

8)      Framing

 

9)      Cropping – é preferível “ recortar” fazer zoom no elemento principal do que cortar depois que tirou a foto

 

10)   Experimente – quebrar as regras

 

PRINCESA – pequeno resumo do livro lido em 2012

Uma história verídica de uma princesa muçulmana da Arábia Saudita que relata todas as discriminações com as mulheres árabes desde o descaso no nascimento de uma filha menina, os irmãos distratam, o pai não aceita e depois o marido comanda.

Ela vem de uma família de 9 irmãs e 1 irmão homem. O pai dela tem outras 3 esposas além da mãe, algo absolutamente comum, esperado e preisto no Corão. O irmão tinha um andar no palácio exclusivo para ele, regalias diferentes das mulheres. Sultana, apesar de árabe, não aceitava esses e outros costumes da sua religião e não se conformava com o machismo.

Apesar de parecer levar um rumo diferente, ao final descobriu que vivia nessa mesma rotina: de mulheres presas em casa, cuidando de filhos, indo a chás da tarde onde todas por baixo dos véus e das burcas exibiam valiosas jóias e aceitavam ordens do marido.

Ela juntamente com 2 amigas, pensaram em criar um grupo para romper esses rituais, principalmentem dos casamentos que além de serem sempre arranjados, muitas vezes era entre coroas e meninas recém-menstruadas. Meninas ao menstruarem já são obrigadas a usarem véus, burcas e estão “aptas” para casarem.

Ela não queria essa vida pra ela e não admitia dividir o marido com outras esposas. Sua irmã que tinha maior contato era Sara (todos nomes são fictícios) casou-se nessas condições e após um casamento arranjado, sem nunca ter visto o noivo, 40 anos mais velho do que ela, foi proibida de ter contato com a família durante 3 meses para “se acostumar” à vida de casada. Mas precisou esperar todo esse tempo, 5 semanas após o casamento, tentou suicídio com o gás do forno e milagrosamente conseguiu o divórcio que só pode ser dado pelo marido.